Páginas

O TEMPO PASSOU

Nada mudou...
A rua na qual eu te procuro 
continua a mesma
deserta...escura...estreita.

Anos se passaram 
e eu continuo só,
vagando pelos becos da desilusão,
tentando te encontrar.

Nesta busca insana 
sigo revivendo momentos
de uma paixão desvairada
que outrora contaminou o meu ser.

Perdido, 
entre as sombras da solidão,
sufoco o meu pranto e tento conter 
uma lágrima teimosa 
que insiste em rolar no meu rosto.

Grito o teu nome 
e ecos da minha voz
faz-me perceber, enfim, 
que o tempo passou
e, definitivamente, 
nos perdemos de nós.

P0140.2007.08
Copyright © 2007 by Magno R Almeida