Páginas

REENCONTRO


Houve um tempo em que fugi de mim...

Em busca da sorte parti sem norte
por uma estrada sem fim

Nos becos, vielas e cantos
tropeços, lágrimas e prantos
dominaram todo o meu ser

As ciladas do destino levaram-me ao desatino
maltratando o meu viver

Mas numa tarde de inverno libertei-me daquele inferno
e a vida sorriu para mim

Trazendo de volta a alegria que aos poucos se esvaia
naquela estrada sem fim

Com o peito ainda sofrido recuperei meus sentidos
e a alma despertei

Num desvio da estrada andando em largas passadas
ao meu encontro voltei

Houve um tempo...
que não deixou saudades

P0158.2008.01
Copyright © 2008 by Magno R Almeida