Páginas

MADRUGADA

Paraíso dos boêmios, poetas,
 bêbados e apaixonados

Em teu colo repousam almas vadias 
que silenciosamente perambulam 
em busca de companhia

De tuas entranhas sai os gemidos 
dos amantes que em gozos alucinantes 
roubam o descanso do enfermo 
e o sono de quem dorme

És tu, madrugada, que com tuas mãos 
aveludadas e perfumadas de amor e luxúria 
conduz a inspiração dos poetas
fazendo-os vagar pelo infinito 
em busca de alentos de paz
para os corações apaixonados...

Ah! Madrugada!
O que seria de nós, amantes e sonhadores,
sem a tua marcante presença em nossas vidas?

Ó musa inspiradora
até o nosso próximo encontro.

Quem sabe, amanhã?

P0077.2007.03
Copyright © 2007 by Magno R Almeida