Páginas

TULIPA ROXA

Zé namorava Maria há 5 anos. Uma moreninha de corpo escultural, bundinha perfeita, peitinho durinho de olhar para cima...

Simplesmente as medidas de uma Deusa grega. Só havia um problema para José: até hoje Maria não tinha liberado nada mais do que uns amassos. Um dia, os dois rolando pelo sofá, pega aqui, pega ali, mão naquilo, aquilo na mão, etc., José começou a tirar a blusinha de Maria, abriu sua calça e quando achou que finalmente ia rolar. Maria cortou o barato falando:

- José, eu sou moça de família. Só vou transar com você depois de casar. Quando acontecer, até tulipa roxa eu farei com você.

Sem entender o que era "tulipa roxa" José levantou-se e saiu. Foi à casa de Joana, uma loirinha aguada que era um caso antigo dele, daquelas que liberava geral. Ao chegar José não pensou duas vezes e foi logo para cima de Joana. Rola prá cá, rola prá lá, depois de várias posições ele não pensou mais e disse:

- Joana, você não acha que já estamos sem muitas idéias para nossas transas?
- Também acho, Morzinho.
- Então, quem sabe você poderia fazer uma tulipa roxa?

Joana ficou branca e logo gritou:

- QUEM VOCÊ PENSA QUE SOU? POSSO SER SUA AMANTE, FAZER TODO TIPO DE SACANAGEM, MAS VOCÊ ESTA ACHANDO QUE SOU DESSAS QUE FAZEM TULIPA ROXA? A MOÇA ENFIOU A MÃO NA CARA DO COITADO! - FORA DAQUI, SEU FILHO DA PUTA. JÁ!!

Jogou tudo o que tinha em cima de José, que não teve alternativa a não ser sair correndo, com as calças na mão.

No dia seguinte José foi para o trabalho, mas não parava de pensar como deveria ser a tal "TULIPA ROXA". Claro que não perguntou para nenhum amigo, pois não queria passar vergonha. A solução seria uma visita ao puteiro local.

Para lá se dirigiu, à noite. Depois de beber umas e outras, sentiu-se preparado e chamou uma das "garotas" linda de parar o trânsito. Ao chegar ao quarto foi logo perguntando:

- Você faz realmente tudo?
- Claro. Estou aqui pra isso, fofinho.
- Qualquer coisa, mesmo?
- Sendo franca: estou aqui para ganhar dinheiro e faço tudo o que for preciso, anal, oral, o que você quiser.
- Então vamos começar logo com a tulipa roxa?

Sem pensar, a piranha tascou um tremendo tapa na cara de José e foi gritando:

- SEU SEM VERGONHA. SOU PIRANHA, MAS NÃO SOU QUALQUER UMA. QUEM VOCÊ PENSA QUE EU SOU?!!! - A vagaba enfiou a mão na cara do coitado e continuou a gritar: VAI FAZER TULIPA ROXA COM A TUA MÃE SEU FILHO DA PUTA! E continuou gritando.

Sem entender o que estava acontecendo o "segurança" (vamos ser francos, o cafetão do local) invade o quarto, irritado, e pergunta:

- Ei cara! O que tá acontecendo aqui?
- Meu caro, eu só perguntei se ela fazia Tulipa Roxa. -respondeu José.

Sem deixar José concluir a frase o cafetão saca o revólver e vai berrando:

- AQUI É UM PUTEIRO DE RESPEITO, MINHAS MENINAS NÃO SÃO DESSE TIPO. SAIA JÁ DAQUI, SEU FILHO-DA-PUTA, SENÃO TE FURO TEU RABO!

E José, novamente sem ter escolha, saiu correndo e foi para a casa de Maria. Ao chegar, falou:

- Maria, case comigo, agora, por favor. - Afinal, José não aguentava mais não saber o que era tulipa roxa.

Dois dias depois casaram-se e foram para a lua de mel. José todo esperançoso...
No caminho da lua de mel, sofreram um acidente e Maria morreu. Até hoje José chora. Não de saudade, e sim de raiva, pois não conseguiu descobrir o que é tulipa roxa.

E Nós  também vamos ficar com raiva. Afinal, se José não descobriu o que é tulipa roxa, muito menos eu, que só recebi esta mensagem de um amigo filho da puta que também não sabia, e perdi um tempão lendo essa porcaria de e-mail e não descobri o que é tulipa roxa.